Skip navigation

To think is an action. It is something that is done, something that happens through effort by someone or something.

Nevertheless, sometimes thinking can appear as a thing.

A morsel of thinking becomes an idea. There seems to be no action in an idea, no performance, nothing happening but a simple finished contained thing that exists independently. That is an illusion, and it can originate a slew of weird mistakes. Read More »

Nos bons e velhos tempos quando ainda existia feminismo, eu era um calouro sem-noção e arranjei uma namorada muito f0d4 que me ensinou várias coisas importantes. Uma vez essa menina falou pra eu ir em alguma coisa de feminismo, tipo uma manifestação ou encontro, e eu respondi “Mas eu não sou mulher!”. Ela fez uma cara de vergonha alheia, respirou fundo e disse “Você não sabe do que você tá falando…”  e me deu uns fanzine pra ler, depois umas xerox, depois Haraway, e assim foi. Vários anos depois estava lendo Bourdieu e Butler. E foi uma jornada, o assunto deu vários nós na minha cabeça que eu fui tendo que desenlaçar aos poucos.

Mas a tal ex-namorada me explicou desde o comecinho uma coisa muito importante: Feminismo não é o contrário de machismo. Ser feminista não quer dizer querer que as mulheres ocupem a posição de privilégio que antes os homens ocupavam, e definitivamente não quer dizer tornar as mulheres as opressoras. Portanto, não é contraditório um homem ser feminista.

Portanto: Esse papo de que feminismo é contra homens é uma estratégia clara do patriarcado para desacreditar o feminismo. Read More »

No último ano uma conversa se repetiu muitas vezes, mais ou menos assim:

Amiga: Daí eu me senti muito usada.
Eu: Bom, homens também se sentem usados às vezes.
Amiga: Quê?
Eu: Bom, se uma mulher for eskrota com um cara, o cara vai sofrer, como qualquer pessoa normal.
Amiga: Não entendo.

E aí a coisa degringola porque a mina não consegue compreender que um homem possa se sentir usado. Essa idéia simplesmente não entra na cabeça delas. Se eu insisto no assunto começa a parecer que não estamos falando a mesma língua.

Então vou tentar explicar por escrito…

“Oi, desculpa, não posso te encontrar, agora tenho namorado.”

Mentira. Você tem é um feitor.

É a segunda vez que me jogam essa na cara, e das duas vezes eu não falei nada pra não ser grosso, mas essa tosqueira merece ser respondida na grosseria, pelo seguinte: Você acaba de me tratar como um cão. Sabe esses cachorro chato que fica se esfregando na sua perna? Você acaba de insinuar que eu sou isso. Um bicho que diga-se de passagem merece bicuda mas a gente faz cara de sem graça pra não ser grosso com o dono. Read More »

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 128 other followers