Skip navigation

Trump, Brexit and, in Brazil, Temer, make it pretty clear that the world is fscked.

But what is fscked is not Trump, Brexit, or Temer. Those are consequences, not causes. What is really fscked up is that, the way things are now, these things make a whole lot of sense. Read More »

O mundo está bizarro, com Trump, Brexit, Temer.

Mas o bizarro não é Trump, Brexit, ou Temer. O bizarro é que essas coisas fazem sentido no mundo como ele está. Read More »

O problema das “Políticas Identitárias” é que os defensores disso agem como se todo mundo fosse obrigado a se importar com as questões que eles se importam.

Um tal de Mike Rugnetta do Iultubiu coloca a questão de uma forma ótima pra criticar (note-se que a tradução é minha):

Se alguma obra envolve pessoas, que necessariamente possuem identidades, mesmo que sejam pessoas ficcionais, essa obra contém Políticas Identitárias.

Mas dizer que “pessoas necessariamente têm identidade” é meio sacana, e acho que é importante esclarecer como exatamente é sacana. Read More »

Part of the problem with “Identity Politics” is that its proponents treat it as if everyone had to necessarily care about the issues they like.

Mike Rugnetta of PBS Idea Channel puts it in a very easy to criticise way:

If a piece of media involves people, who necessarily possess identities, even if they’re fictional, then it has Identity Politics.

Saying that people “necessarily possess identities” is kind of weasel-wording, i’d like to go a little into how exactly it is misleading. Read More »